Wednesday, October 22, 2008

Mazuko - Limonchayoc

Chegando no acampamento de Limonchayoc, Nico, também da equipe de Gonzalo, mandou prepararem um almoço para mim. Mas não esperava tanto requinte...Mas que continuei com fome, isso eu continuei!

No meio da estrada, os operários me pararam e me pediram para tirar uma foto comigo.


A toda hora, tinha que parar para esperar.




Ponte Fortaleza. Esperei uns 5 minutos pela minha vez, e quando chegou, quase perco meu alforge com todas as minhas roupas. Há alguns dias vinha tendo um problema: os alforges dianteiros pulam do bagageiro quando a bike trepida muito. Na entrada na ponte, bem na beirada da estrada, o alforge direito pulou, e só não caiu no rio, porque pela primeira vez, ficou engarranchado no bagageiro. Sorte?

Enquanto esperava a abertura de um trecho da estrada ao meio-dia, em San Lorenzo, conheci Vera e Giovanni, engenheiros florestais. Conversamos muito, e me deram muitas dicas de como encarar calor e frio extremos. Giovanni chegou ao ponto de me dar sua cartela de comprimidos para soreche, o mal da altitude.

Como o pezinho da bike não aguentou o peso, infelizmente quase não posso descer da bike, a não ser quando há uma placa para encostá-la. Manobrá-la também não e tarefa das mais fáceis, o que me obriga a tirar as fotos do exato local onde estou. De vez em quando, corta alguma coisa, como pés, cabeças, e também copas de árvores...

Estradinha simpática...

Um dos diversos riachos pelo caminho...

Yollanda, da equipe de Gonzalo no acampamento de Mazuko.
Também me deu bastante atenção, chegando a me levar para uma consulta médica pela manhã. Água gelada e sacolinha de frutas também me aguardavam para a saída.

Ponte que era utilizada antes das obras. A atual ainda é improvisada,
mas um pouco melhor que essa.

1 comment:

Gustavo e Tati said...

E no almoço rolou um copo de Chicha Morada....hummmm delícia.
Boa jornada!!!